Presenteísmo no trabalho, o que é?

Um profissional presente nem sempre é produtivo. O presenteísmo é um caso muito comum nas empresas e na maioria das vezes invisibilizado
Presenteísmo no trabalho, o que é?
  • Carregando índice...

Foi-se o tempo em que estar fisicamente no trabalho era sinônimo de produtividade. O home office provou isso nos últimos anos, com muitos profissionais entregando um melhor desempenho pelo simples fato de terem flexibilidade para trabalhar de qualquer lugar. Entretanto, essa “flexibilidade”, muitas vezes, vem mascarada de uma disponibilidade total para o trabalho, com horários estendidos, fazendo com que o colaborador esteja conectado 24h do dia.

Chamada de cultura da produtividade, esse excesso de trabalho pode desencadear diversas doenças mentais, físicas e outras condições que afetam a capacidade do colaborador de desenvolver suas atividades de forma adequada. O presenteísmo é um desses fenômenos.

O que é presenteísmo?

O presenteísmo é um termo usado para descrever o comportamento de uma pessoa (colaborador) que se sente obrigado a estar disponível para o trabalho, mesmo em dias em que ele não se sente bem de saúde ou quando precisa de descanso e repouso.

Este fenômeno tem acontecido em diversas empresas, principalmente, nas que possuem uma grande exigência por entrega de resultados. Isso faz com que o colaborador esteja apenas “de corpo presente” no trabalho, mas com o psicológico ausente.

Além de afetar a performance do colaborador e sua produtividade, essas situações podem gerar estresse e outros problemas de saúde mental como ansiedade e, até mesmo, uma síndrome de burnout.

Muitas das vezes, o presenteísmo é o primeiro sinal de algo mais grave e que não é notado pelo RH no dia a dia, nos exames periódicos ou ações voltadas para a saúde e bem-estar dos funcionários.

Como identificar um profissional com presenteísmo?

Existem alguns sinais importantes que podem ser observados pelo RH ou pelo próprio gestor:

  • Ausência mental: o colaborador pode estar fisicamente presente, mas aparentemente distraído e muito desmotivado.
  • Falta de interesse em suas atividades do dia-a-dia: o colaborador mostra-se desmotivado com os desafios, perde sua produtividade ou diminui sua capacidade de execução. Há também uma falta de interesse em aprender novas habilidades e, até mesmo, uma resistência em aceitar novas responsabilidades.
  • Estresse e ansiedade: observar se o colaborador não apresenta sinais de transtornos mentais e mudança repentina no comportamento e engajamento. Deixar de participar das atividades, se irritar facilmente ou apresentar ansiedade, como reclamações de tensão muscular, insônia, também podem ser indícios de presenteísmo.
  • Dificuldade de relacionamento com os colegas de trabalho: muitas vezes é possível identificar o presenteísmo na mudança de comportamento do colaborador com os demais integrantes do time, pares e liderança.

Como abordar os profissionais com este comportamento?

Ao identificar alguns dos traços acima é de suma importância que o RH e o gestor da área abordem este profissional para oferecer ajuda, sempre de forma respeitosa. É possível traçar uma estratégia utilizando dados dos exames periódicos e, com isso, tornar a abordagem mais assertiva, encaminhando o profissional para  uma linha de cuidado correta e específica para o sintoma apresentado. Esses dados ajudam não só o RH, mas também o time de saúde, a identificarem outros sintomas relacionados à saúde mental, tornando o acompanhamento mais individual e humano.

Conheça sobre nosso programa de Saúde Ocupacional que abrange além dos exames admissionais/demissionais, exames periódicos que entregam dados ao RH sobre a saúde da sua população.

Quais ações a empresa deve tomar?  

Já é de conhecimento comum que um ambiente de trabalho tranquilo e sustentável impacta positivamente na saúde mental dos colaboradores. Respeitar o descanso e as pausas de cada colaborador, propor horários flexíveis quando possível e cuidar do bem-estar trazem muito mais resultados para a empresa do horas e horas de trabalho.

Um dos primeiros passos e mais estratégico é unir a saúde ocupacional com a assistencial, olhando caso a caso cada colaborador e seu check-up de saúde. Além de investir assertivamente e especificamente na saúde de cada colaborador da sua empresa, listamos outras ações que podem ajudar a minimizar o presenteísmo:

1. Conversas individuais

Tentar compreender quais as razões por trás da mudança do comportamento do colaborador e oferecer ajuda, seja profissional ou para alguma questão pessoal.

2. Flexibilidade no trabalho

Após a pandemia, uma das maiores mudanças no comportamento dos profissionais é a busca por horários flexíveis, home-office e cuidado do bem-estar. Adotar este modelo de trabalho, quando possível, ajuda o colaborador a ter tempo para resolver questões pessoas.

3. Programas de saúde

Contar com um time de saúde para auxiliar no diagnóstico correto, possibilita ao colaborador iniciar de forma imediata o tratamento, junto a uma linha de cuidado eficaz. Um exemplo disso é o Cuidado 3778, que por meio de profissionais qualificados, como enfermeiros e médicos de família, o colaborador recebe assistência médica personalizada no seu dia a dia.

Esses programas têm como objetivo promover mais qualidade de vida para o colaborador e melhores resultados de saúde a médio e longo prazo. Além disso, a APS é capaz de resolver com facilidade cerca de 85% das principais necessidades de saúde, evitando idas desnecessárias ao pronto-atendimento e reduzindo, também, a sinistralidade do plano de saúde.

4. Treinamentos e desenvolvimentos

Além de ajudar o colaborador a aprimorar suas habilidades, os treinamentos trazem reconhecimento e melhoram a satisfação dos funcionários em seu trabalho, além de reconhecê-los profissionalmente.

Lembre-se de que é importante tratar cada caso de forma individual e procurar encontrar soluções que sejam benéficas tanto para o colaborador quanto para a empresa.

Artigos relacionados

Os benefícios mudaram! E o que os funcionários tem desejado?

Os benefícios mudaram! E o que os funcionários têm desejado?

Uma nova mentalidade de profissionais no mercado força as empresas a repensarem a oferta de seus benefícios

Gestão de RH
12
 minutos de leitura
Como ser um RH inovador?

Como ser um RH inovador?

Com a tecnologia a favor do RH, a inovação, o acesso a dados e ferramentas completas ajudam a melhorar o planejamento estratégico da empresa

Gestão de RH
10
 minutos de leitura
Carnaval 2023: como aproveitar a data com seus colaboradores?

Carnaval 2023: como aproveitar a data com seus colaboradores

Saiba como o RH pode orientar o colaborador a curtir o carnaval com saúde e ainda aumentar o engajamento entre os times

Gestão de RH
8
 minutos de leitura

Assine nossa Newsletter!

Receba informações valiosas sobre a saúde corporativa da sua empresa e dê as boas-vindas à nova era do cuidado

Apenas E-mails corporativos
Verifique o campo de e-mail. Somente serão aceitos e-mails corporativos.
Agradecemos o seu interesse!
A nossa newsletter é publicada semanalmente e enviada para o seu e-mail.
Ops! Algo deu errado ao enviar o formulário.
close
Mulher de braços cruzados
Espero que goste desse artigo. A 3778 pode ajudar a transformar a Saúde da sua empresa. Faça um orçamento para Saúde Ocupacional, Gestão Ambulatorial ou Terceirização em Saúde.